Os mortos não têm jet ski

Os mais de 700 brasileiros mortos nas últimas 24h não têm jet ski, nem lancha, nem direito a um velório digno. A cena claramente montada do churrasco em alto mar pelos que desgovernam o país é extremamente violenta, digna de gente incapaz de mostrar um sentimento de pesar, por mínimo que seja, frente às mais de 10 mil mortes (sem falar nas milhares de subnotificações). E, como se não bastasse, ao final do pronunciamento macabro à nação, diz para o grupo de atores que interpretam um grupo de riquinhos negacionistas boçais que mais de 70% dos brasileiros “pegarão o vírus”. Isto que alguns chamam de presidente sabe o que são 70% de mais de 200 milhões de pessoas? Sabe que a taxa de mortalidade por Covid-19 está em 6,9% e é a maior do que as taxas registradas em todos os países do mundo? Obviamente não será bolsonaro quem adoecerá (se já não adoeceu e oculta) ou morrerá, nem as milhares de réplicas dos boçais que aguardavam o presidente para “o teu churrasco né cara” regado com água e sangue de pulmão infeccionado, nem o queiroz, nem os demais milicianos, nem os banqueiros para quem ele e o necroliberal guedes deram 3 trilhões, mas milhões de trabalhadores que não têm nem um milésimo das regalias que essa coisa empesteada, fria e genocida esbanja, pendurada no Estado há 30 anos sem nunca apresentar um projeto sequer para a nação. Mais de 10 mil mortos e ao invés de prestar condolências às milhares de famílias enlutadas tem a desfaçatez de produzir uma montagem nauseante de um churrasco amaldiçoado para defender a continuidade de um regime suicidário que precisa ser, urgentemente, posto no chão sem dó nem piedade. Você sabe o que sente alguém com Covid-19 em estado grave?