O debate de cinco séculos

O pensamento esfumaçado pelo “debate do século” não percebeu que fora convocado para o “debate de cinco séculos”.

Depois dos ataques e intimidações desferidos nas últimas semanas por Bolsonaro aos povos indígenas, especialmente, aos Yanomami, estes divulgaram um vídeo em resposta ao presidente de extrema-direita.

Bolsonaro desde o primeiro dia de seu desgoverno desfere sucessivos ataques, discursivamente nas mídias sociais, nos jornais e por atos de governo, aos povos indígenas, às suas organizações políticas, e às instituições do estado reconhecidas como canais de mediação, como é o caso da FUNAI e da SESAI.

No dia 8 de abril, o jornal Valor Econômico noticiou: “o presidente Jair Bolsonaro prometeu rever as demarcações de terras indígenas e afirmou que pretende explorar a região amazônica em parceria com os Estados Unidos”.

“Quero explorar a região amazônica em parceria com os Estados Unidos”.

Está escrito com sangue na bandeira furada com 80 tiros de fuzil: Bolsonaro está disposto a exterminar os povos originários remanescentes cujos territórios figuram entre os mais preservados da Terra, e abrir as fronteiras do país para a exploração norte-americana.

Davi Kopenawa, líder, xamã e pensador Yanomami foi o último entre as lideranças de seu povo a se manifestar no vídeo em que os argumentos criminosos de Bolsonaro contra os índios são rebatidos um a um por diversas lideranças Yanomami.

Em dado momento, Kopenawa diz que tem dificuldade de enxergar Bolsonaro. Seria Bolsonaro aos olhos do xamã uma entidade perigosa, bem mais perigosa do que imaginamos? Mas o xamã, este diplomata cósmico, não acusa Bolsonaro de nada. Ele diz que quer conversar com ele, que quer olhar em seus olhos.

O presidente não aparece com nitidez para Kopenawa que parece pressentir algo que se oculta nas palavras e ações de Bolsonaro. Que voz é essa que quer exterminar os Yanomami e não se revela para seu xamã?

Mas Davi não gosta de falar ‘à toa’. As palavras são sagradas para os Yanomami. Não são sem razão. Ele diz não querer uma guerra sangrenta, mas um debate.

É provável que Bolsonaro fuja para não ter descoberto seu poder epidêmico, mas mesmo que o faça, cedo ou tarde, receberá a visita do xamã em seus sonhos. Talvez não presenciemos este “debate de cinco séculos”.

Bolsonaro fora intimado a ouvir as palavras de Omama. E vai ouvir! Acordado ou, se fugir, dormindo.

Advertisements


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s