#redeforadarede

Por muitos anos falou-se no “””poder””” de mobilização da internet, das redes, dos aplicativos. Falou-se até mesmo que o ciberespaço seria uma “ágora virtual”.

Tais discursos, é verdade, não são absolutmente falsos; dialogam com tendências da sociedade, da tecnologia, do mercado, etc.

Mas hoje não vivemos um momento, se não oposto, distinto? Ou seja, vemos o número de pessoas conectadas crescer exponencialmente, todavia não vemos surgir movimentos, organizações, coletivos (etc.) capazes de confrontar, não apenas com postagens, as ações retrógradas do(s) Poder(es) [penso no momento político do Brasil].

Seria, talvez, interessante pensarmos o lado obscuro das redes [como conhecemos], ou seja, numa função de desmobilização em rede [bem como pensar em outras formas [e, talvez, plataformas] de mobilização para a ação política efetiva].